O feriado de 15 de novembro foi de muito trabalho no Armazém GiraSol. A equipe do escritório de arquitetura Mãos Terra e Território iniciou as obras para adaptar o prédio.

Após um longo período, finalmente, a GiraSol pode vislumbrar o começo daquele que vai ser a realização de um sonho e, ao mesmo tempo, um dos maiores desafios já encarados pela sua equipe de associados e associadas. Na sexta-feira, 15, iniciou a reforma de adequação nas dependências do imóvel onde será o ponto de comercialização de produtos orgânicos e agroecológicos da Cooperativa GiraSol.

A obra está prevista para acabar antes do Natal, porém os consumidores terão de esperar até o ano que vem para conhecer este espaço, que promete alimentação saudável com preço justo e um ambiente acolhedor e politizado, localizado num dos melhores pontos da cidade de Porto Alegre para este ramo, a Avenida Venâncio Aires, 757, a uma quadra da Feira da José Bonifácio.

Além da Venda Direta de produtos orgânicos, agroecológicos, da agricultura familiar e da economia solidária e feminista, o Armazém GiraSol também irá oferecer outros serviços, como o E-commerce, que consiste na compra pelo site e entrega em casa, trabalho que a cooperativa já exerce; o Café Cultural, que se localizará dentro do próprio Armazém e terá o objetivo de acolher o público com deliciosos e saudáveis lanches e com um ambiente aconchegante. Este espaço também terá o propósito de abrigar atividades culturais e gastronômicas; a Distribuição Comercial, que se refere à venda de alimentos para pequenos comércios, como bares, restaurantes, lojas de produtos naturais, escolas infantis, casas geriátricas etc; e Eventos, outro serviço já oferecido pela GiraSol, que visa ao atendimento de coffeebreaks, com cardápios variados e diferenciados.

Tudo isso está sedo possível graças a um projeto de parceria entre Cooperativa GiraSol, ONU Mulheres e Fundação Banco do Brasil, aprovado no final do mês de maio deste ano, que busca o fomento e a valorização do trabalho de mulheres nas zonas rurais.

Intitulado Mulheres Rurais em Rede: Agroecologia, Autonomia Econômica e Autogestão Solidária, esse projeto está ajudando a estruturar, além do Armazém GiraSol, outros 9 empreendimentos de economia solidária, da agricultura familiar e da reforma agrária, com investimentos, como fechamento em vidro, extrator de óleos essenciais, embaladora a vácuo, classificadora de sementes, balanças, computadores, impressoras, etc. Essas atividades abrangem 3 estados brasileiros (Rio Grande do Sul, Paraná e Rio de Janeiro) e 18 empreendimentos.

Segundo Tanara Lucas, Coordenadora Executiva do Projeto, o trabalho está focado em duas frentes importantíssimas e complementares: a produção e a comercialização. “Ao mesmo tempo que estimulamos a qualidade e a quantidade da produção desses grupos, por meio de encontros de formação, atuamos no seu escoamento, quando ajudamos a estruturar locais de comercialização. Isso efetiva a geração de renda para essas mulheres.”, ressalta.

O Projeto Mulheres Rurais em Rede tem a duração de um ano e meio, indo até o final de 2020.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *